O que fazer…

Gostar de alguém que já foi parte de você, mas hoje mora em outro coração é mais doloroso do que realmente deixar a pessoa ir embora. Ficar de fora dos planos, dos problemas é como perder um pedacinho do que já foi seu, já foi você! E mesmo que o mundo acredite que você é forte, que não se importa é tão doloroso como olhar no espelho e não se reconhecer. E ai você pensa que algumas decisões, por mais certas que tenham sido na hora, te acompanharão por toda sua vida. E você pensa que toda história tem dois lados e fica se perguntando qual é o outro lado desse seu pedaço de história. E você se pergunta onde foi parar o colo, os abraços, as brincadeiras e as malditas intimidades.  E o que fazer com os planos do futuro que foram feitos no passado. E o que fazer com as fotos que lembram momentos que doem a alma de tanta saudade. E o que fazer com as vezes que tentou ceder e não teve reciprocidade, ou pelo menos você acredita que não. E o que fazer quando você tem tanto pra falar e ninguém pra te entender. E o que fazer quando já existe outra pessoa em seu lugas, as vezes mais de uma até. E o que fazer quando você tem que sorrir, agradar, dançar e ser feliz para que ninguém te pergunte um milhão de coisas e você tenha que dizer um milhão de inverdades só para não ter que mostrar todas suas fraquezas, que não são poucas. E o que fazer quando suas mensagens não são mais respondidas com o mesmo entusiasmo. E o que fazer se você não sabe se tudo o que sente também é sentido em um lugar conhecido? Pega tudo, guarda e espera a próxima noite chegar para pensar mais um pouco – ou espera por um milagre.

This entry was posted in Textos.

Deixe uma resposta

*